Receba Semanalmente a nossa newsletter por e-mail


Lucro líquido de Natura &Co sobe mais de 70% no primeiro trimestre

Categoria: Mercado Cosmético


Natura &Co teve forte desempenho no primeiro trimestre de 2019, período no qual o crescimento de suas três marcas levou o faturamento consolidado a um aumento de 8,5%, para R$ 2,9 bilhões, na comparação com o mesmo trimestre do ano passado. O lucro líquido no período também avançou, com alta de 72,8%, para R$ 41,9 milhões. O EBITDA, por sua vez, cresceu 5,6%, para R$ 336,9 milhões, enquanto o EBITDA ajustado (que exclui efeitos não-recorrentes) aumentou 3,7% no período, para R$ 330,8 milhões, impulsionado por ganhos de eficiência na The Body Shop.

“A Natura &Co registrou mais um trimestre de sólidos resultados consolidados, confirmando o bom momento do grupo de beleza multimarca, multicanal, movido por propósitos, que nós criamos. Todas as três marcas e negócios tiveram crescimento da receita em reais, apesar do contexto ainda desafiador em mercados-chave, principalmente no Brasil, o que demonstra a resiliência do grupo e os benefícios de sua expansão geográfica”, afirma Roberto Marques, presidente-executivo do Conselho de Administração de Natura &Co.

A receita líquida da Natura aumentou 4,6% no primeiro trimestre de 2019, com alta de 2,3% do faturamento ajustado. O desempenho foi impulsionado principalmente pela América Latina (alta de 10% em base ajustada e de 19,4% em moeda constante), com crescimento forte em todos os mercados, inclusive na Argentina, apesar do cenário macroeconômico difícil. No Brasil, as vendas caíram 1% em um contexto de maior fraqueza do segmento de cosméticos, mas a empresa continuou a ganhar participação de mercado, confirmando a liderança no setor e na venda direta, o que ressalta os sólidos fundamentos do negócio. Segundo relatório publicado recentemente pela Euromonitor, a Natura encerrou 2018 na liderança do mercado brasileiro de cosméticos, fragrâncias e higiene pessoal pelo segundo ano consecutivo, com uma participação de 11,7%, acima dos 11,4% registrados no ano anterior. O primeiro trimestre também foi o décimo período consecutivo de ganhos de produtividade pelas consultoras, o que demonstra o vigor do modelo de Venda por Relações e os contínuos progressos em sua plataforma digital. O EBITDA consolidado da Natura aumentou 3,6%, com margem de 14,8%.

Em relação ao desempenho da The Body Shop, destacam-se os avanços no plano de transformação, que mostram resultados encorajadores. No primeiro trimestre, a receita líquida aumentou 10,2%, em reais. Em moeda constante, o resultado ficou estável (-0,2%), impactado pelo fechamento de algumas lojas com desempenho inferior à média, parte do plano de otimização da presença da marca no varejo. As vendas no conceito “mesmas lojas” subiram 2,4% no Reino Unido, o que ressalta a crescente atratividade da marca em seu maior mercado. Os ganhos de eficiência também levaram a um forte aumento do EBITDA, de 41,7%.

A Aesop, por sua vez, teve mais um trimestre de sólido crescimento de dois dígitos de receita e EBITDA. O faturamento aumentou 34,2% em reais e 16,3% em moeda constante, com forte expansão em todos os canais e geografias. As lojas próprias tiveram um aumento de 10,6% das vendas no conceito “mesmas lojas” no trimestre, enquanto o EBITDA aumentou 29,5% na comparação com o primeiro trimestre de 2018.

A relação dívida líquida/EBITDA ficou em 2,95 vezes ao fim do primeiro trimestre, contra 3,32 vezes no mesmo período de 2018. O grupo continua no rumo para alcançar a meta de reduzir a alavancagem da companhia para os níveis pré-aquisição da The Body Shop ao fim de 2021, para 1,4 vez.

O grupo Natura &Co continuou a ter um impacto social e ambiental positivo. Pelo décimo ano consecutivo, a Natura foi eleita uma das cem empresas mais sustentáveis do mundo, de acordo com o ranking Corporate Knights Global 100, que leva em consideração 21 variáveis. A The Body Shop recebeu o prêmio Marie Claire’s Prix d’Excellence Beauty pelo programa de Bio-Pontes, impulsionado pela campanha de Natal que contribuiu para proteger mais 11 milhões de metros quadrados de habitats naturais na Armênia e no Reino Unido. A Aesop reduziu o uso de plástico em 17% ao adotar um novo design para algumas de suas embalagens, o que deve contribuir para reduzir o uso de plástico de primeiro uso em 124 toneladas anualmente. Essas conquistas confirmam o compromisso de Natura &Co com um novo jeito de fazer negócios, que combina impacto econômico, social e ambiental positivos.

Natura &Co também anuncia sua participação em um novo veículo de investimento, chamado Dynamo Beauty Ventures (DBV). O fundo irá trabalhar para identificar e investir em marcas emergentes nos segmentos de cosméticos e bem-estar, com ênfase na Europa e nos Estados Unidos. O DBV vai atuar em parceria com empreendedores com ampla experiência na indústria para adquirir participações minoritárias em companhias com grande potencial de crescimento e modelos de negócio inovadores.

*A partir de 1o de janeiro de 2019, foi adotado um novo padrão contábil para arrendamentos mercantis, o IFRS 16, sem reapresentação de períodos comparativos. Para melhor comparabilidade, os números e análises aqui expostos referentes ao 1T19 excluem seus efeitos. Nesse sentido, os termos “EBITDA”, “Lucro Líquido” e “Resultado Financeiro” apresentados desconsideram os efeitos de IFRS 16, enquanto “EBITDA Ajustado” exclui também outros efeitos não considerados usuais, recorrentes ou comparáveis entre os períodos analisados. Na seção 5 deste documento nós apresentamos os resultados reportados incluindo os impactos do IFRS 16.

EXAME, (02/05/2019)

Boletim Formulador

Anuncie Aqui

Anuncie Aqui


Todos os Direitos Reservados © GlobalCosmetic